quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Namorismo x Solteirice

Hoje, vim aqui desabafar, permitir-me ser sincero além dos limites éticos normalmente observados pelas minhas palavras.

O assunto do dia é solteirice e namorismo (acabei de criar esse termo e já explico). Sinceramente, eu já estou extremamente cansado, irritado e envolvido pelo tédio ao responder perguntas e comentários do tipo “e a namorada?”, “está na hora de casar”, “deixe de ser exigente”, “quem muito escolhe acaba só”.

É como se houvesse um princípio universal que determinasse a impossibilidade de alguém ser/estar solteiro. Soa como se o rapaz/moça que não namora ou não vive desesperado para se unir a alguém é o ser mais anormal, assexuado e transviado do mundo. A isto denomino de namorismo. Esse é um mito que deve ser quebrado, tal qual a lenda de que todos os ateus são depravados e sem senso de moralidade.

A vida não funciona na base de silogismos sentimentais. “Pessoas normais namoram. X não namora. Logo, X não é normal”. Quando se trata de relacionamentos a discussão é muito mais fluida, maleável e digna da apreciação de outros fatores que transcendem sua carência elevada à quinta potência, medo enlouquecedor de ficar sozinho e comodidade em não ter que despejar satisfações ao público diariamente.

É perigoso, medíocre e egoísta traçar juízos de valor sobre alguém baseado simplesmente numa condição ou escolha de estar só. Não sei se você já parou para pensar, mas existem prioridades e projetos que são potencializáveis àqueles solitários (não necessariamente carentes). A liberdade, inclusive, de se fazer algumas coisas mais complicadas numa vida a dois.

Quando Deus, disse, lá em Gênesis “não é bom que o homem esteja só” é no mínimo hermeneuticamente irresponsável interpretar isto como “o homem não pode/deve ficar só”. O tom é de sugestão, conselho e cuidado dAquele conhecedor de cada célula sua e sabedor das suas necessidades. Porém, Abba não foi mesquinho - e nem poderia ser - proibindo você de desfrutar unicamente da sua própria companhia, entende?

Portanto, essa historinha de pressionar, ridicularizar, sair taxando todo solteiro de galináceo hormonal e fazer você se sentir a besta fera porque não comemora Dia dos Namorados, 1 ano de relacionamento e decidiu dedicar um tempo para cuidar de si é falsa e covarde. Nós, solteiros, episódicos ou não, compreendemos perfeitamente sua necessidade de encontrar alguém para te acompanhar nos encontros monótonos e sem assuntos aproveitáveis dos seus amigos casais (ATENÇÃO! Isto não é uma regra, por favor).

Outra coisa. Prepare-se para ser solteiro ad eternum. Se você se ama e sabe que estudou, trabalhou, guardou o amor com muito carinho, realizou sonhos e projetos, bem como tudo isso custou muito suor e sangue, é límpida e cristalina a constatação de que não será o primeiro banana com jargões e clichês "coraçãozistas" - como diria Jessier Quirino - o pole position do seu coração e participante efetivo dessa sólida e confortável realidade. Valorize-se. Seja exigente mesmo. Escolha, diga não, cuide-se e dê real importância a sua presença na vida de alguém. Afinal, quem vai ter o peso de suportar a companhia ou a alegria de compartilhá-la é você.

Se porventura alguém não se encaixar nesses padrões não há uma conseqüência lógica do seu fracasso (nem de sucesso). Isto está isento de juízos axiológicos, tais quais certo, errado, bondade, maldade, inteligência ou idiotice. Simplesmente não aconteceu e em definitivo não é o fim do seu mundo e felicidade. E isto porque é a lógica da vida. Daqui a quarenta ou cinqüenta anos, mesmo que não conheça a música Epitáfio, você vai refletir e avaliar suas conquistas, derrotas (eles integram sua existência, sabia Superman?), as (d)eficiências, dentre outras coisas. Caso não tenha encontrado uma pessoa que te completasse, aumentasse seu potencial como gente e dividisse o fardo da solidão lembre-se: você não é o pior dos seres humanos.

Fomos projetados para transferir habilidades de uma área para outra. Vejam os deficientes visuais. Possuem audição acurada, tato sensível e noção de espaço muito maior do que os pretensos “normais”. Trazendo a comparação para nosso assunto, se você não se deu bem na campanha amorosa pode ter certeza que suas habilidades foram (ou poderiam) ter sido transportadas para setores como sociabilidade, conhecimento, capacidade de fazer e criar aquilo que poucos teriam tempo e disposição para enfrentar, etc.

Mas não sejamos também unifocais. Aos solteiros, parem com essa teratológica babaquice de achar que seu status amoroso é a cereja desejada do bolo porque ELE NÃO É.

Você e eu somos seres sociais e que por natureza tendemos a nos relacionar por afinidade e gostar de estar perto daqueles outros humanos capazes de nos fazer sentir vivos.

Logo, meu raro solteiro, poupe o mundo das suas frustrações divulgadas nas redes sociais e dessa falsa sensação de liberdade (libertinagem?) propalada sob o signo de “estou solteiro e estou feliz”. Mentira sua e envergonhe-se disso! Pare de achincalhar quem namora e está satisfeito. Ah, porque essa é a primeira reação do sujeito que não sabe dançar: ele diz logo que odeia o forró.

Namorar é bom e válido sim. Deixa de ser pueril e dá um tempo nas suas fuziladas contra os apaixonados. Vai dizer que você não gostaria de ter uma pessoa bem resolvida, gente boa pra pegar aquele cinema na sexta à noite, após uma semana destrutiva, e no outro dia você saber que ama não apenas os beijos dela, mas essencialmente a capacidade de te fazer sentir em paz?

E, para finalizar, esqueçam textinhos do tipo

"Mulheres são como maçãs em árvores. As melhores estão no topo.
Os homens não querem alcançar essas boas, porque eles têm medo de cair e se machucar. Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão, que não são boas como as do topo, mas são fáceis de se conseguir.

Assim as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas, quando na verdade, eles estão errados... Elas têm que esperar um pouco para o homem certo chegar, aquele que é valente o bastante para escalar até o topo da árvore."

Para começar, você nem mesmo sabe se quem escreveu foi Machado de Assis, Pablo Neruda ou algum fabricante de suco de maçã. Daí, vai com todo gosto, copia e cola no seu Orkut, Facebook, Msn e Twitter como uma pseudo-satisfação do seu estado de impotência em administrar as próprias dores e traumas.

Você não precisa se justificar para a comunidade virtual seu estado atual, caríssimo. Ninguém está no topo ou embaixo quando se trata de homens e mulheres. O mundo não é uma árvore e basta dessa guerra dos sexos.

Se você não está namorando esteja certo(a) de que não é porque você é a maçã, pêra, jaca ou pitomba do topo da árvore. Como já foi afirmado, simplesmente não aconteceu ainda e, há uma possibilidade (ainda que remota a depender do caso), de não se concretizar, certo? Homens não são culpados pelo excesso de mulheres solteiras, muito menos as mulheres não são esse pedestal de bondade e especiaria sentimental.

Sem maniqueísmos e guerrilhas desnecessárias. Descomplicando, desrotulando e elegendo o respeito e decisão individual como o centro de uma sociedade pluralista calcada no livre arbítrio. O resto é mal de recalcado.

Seja feliz. Se acompanhado, ótimo. Se não, sobreviveremos e faremos grandes proezas também.

Abraço

Lucena Filho

21 comentários:

Marina Gadelha disse...

Tanta pressão social para ter um relacionamento amoroso acaba deixando os solteiros abalados, pois ficamos condicionados e OBRIGADOS a ter alguém. Eis o tal do "namorismo", neologismo criado por vc no texto. Pode ter certeza de que vou levar em conta as suas considerações!

Jéssica Ethne disse...

"...Até podemos imaginar um indivíduo destituído de racionalidade, porém, é certamente impossível que um sujeito desprovido de emoção possa ser chamado de humano." (Pequeno, 2006)

Atribuo também esta citação aos modos de relacionar-se, pois seja qual for o seu status social (em seu estado civil, quero dizer), nós seres humanos ‎somos capazes de viver pelo simples fato de sermos sensíveis as emoções do tipo que mais nos seja conveniente em cada etapa de nossas vidas e deve ser respeitado parecendo ou não uma ideia racional. Solteiro o Namorando, busque sua satisfação sem incomodar-se como o modo de satisfação do outro.

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

Taí uma coisa ótima de ser discutida! Quem disse que precisamos nascer, crescer, reproduzir e morrer? De que época é esse modelo? Precisamos viver nossa vida de acordo com nossos valores, sem ceder às pressões sociais engessadas!
"Galináceos Hormonais" - Essa expressão eu vou guardar para usar! rs
Abração!

Barbara Góes disse...

Concordo com você. Não há nada errado em ser solteiro. Muita gente vira alvo de preconceito quando passa um tempo sem namorar...

Lá no Themyscira, fizemos um podcast com essa temática. Ouve lá depois.. Tem mais ou menos o que tu falou aí!

http://ilhathemyscira.blogspot.com/2011/04/themyscira-08-solteira-e-fabulosa.html

Bianka Jones disse...

Muito bom texto...

Viviane disse...

Amei!!!

Anônimo disse...

Muito bom, cara. Eu já me sinto melhor depois de ler o texto!

Mairson Marques

Joelmar Barbosa disse...

Recomendo nunca jamais passar em Belo Horizonte, principalmente se for na Lagoinha, olha só o que estão orando por lá agora: http://www.youtube.com/watch?v=ZfTBb118pBs&feature=player_embedded#!

imagina, o namorismo seria repreendido em nome de "gezuis" e vc seria fisgado imediatamente, rsrsrs

pollyana disse...

A mensagem é de uma Lucidez irretocável!

Anônimo disse...

Texto fantástico LINDO!
Saudade de aprender contigo tantas e tantas coisas boas da vida... ;)

Claro que sinto saudade da música também.

Beijo

Andréia Albuquerque disse...

É isso mesmo. Você falou tudo o que eu penso. Parabéns, mais uma vez nos surpreendendo com sábias e valorosas palavras...
Que Deus te abençoe sempre meu amigo!

Kylze disse...

Eu me diverti lendo este desabafo! Kkkkk... É possível ser verdadeiro e cômico. Está provado!

Ah, e eu dei muito crédito a esta frase: "Se você não está namorando, esteja certo(a) de que não é porque você é a maçã, pêra, jaca ou pitomba do topo da árvore." Kkkk.. Muito boa!

Congrats.

Anônimo disse...

“O sucesso é saltar de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo". ;)

lu disse...

Muito bom!!

Tatiane disse...

Excelente texto!!
o MAIS INCRIVEL É Q SEMPRE EXISTE UMA PRESSÃO de certas pessoas SOBRE os OUTROS, POIS QDO ESTAMOS SOLTEIROS NÃO FALTAM INDAGAÇÕES SOBRE O NAMORO, QDO NO NAMORO VEM AS INTERROGAÇÕES SOBRE O CASAMENTO, E DEPOIS DISSO QDO VEM O PRIMEIRO FILHO, e por aí vai... Por isso, não devemos em nenhuma hipotese, se preocupar com esse tipo de preocupaçoes alheias, é como você disse: “Seja feliz. Se acompanhado, ótimo. Se não, sobreviveremos e faremos grandes proezas também".

JESIANA disse...

Excelente!!!

Pensamentos disse...

Concordo plenamente. Bom seria poder dizer esse texto inteiro para toda pergunta que se faz a respeito. Eu desisti. Digo apenas: Ah! Ando sem tempo! Não tenho nem tempo de pensar nisso! Ignoro os insistentes e faço de conta que não é comigo , rs.

Cecília Cortez disse...

Risos a cada parágrafo - não irônicos, mas sim por concordar com todos os pontos! Aonde eu assino? =)

Anônimo disse...

Muito bom e super me identifiquei. Sabia que não estava sozinha. Concordei demais com o texto. Parabéns.

Kenia Carolina - Kenissima disse...

Abrangente, atual e objetivo. Parabéns pela lucidez e imparcialidade. Elucida que o "status de relacionamento" não define ninguém, um choque de realidade para muitos...

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis achat
http://commandercialisfer.lo.gs/ cialis vente
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis in farmacia
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis