segunda-feira, 11 de julho de 2011

Cicatrizes


Você já parou para analisar seu corpo? Gastou algum tempo consigo reparando os detalhes da sua pele, as rugas e queimaduras? E as cicatrizes? Há muitas por aí?

As cicatrizes, sob a ótica científica, consistem nos resultados de uma lesão da derme, seja por conseqüência de um acidente ou incisão efetuada num processo cirúrgico, por exemplo. Trata-se de um reparo natural, realizado pelo próprio corpo, o qual se faz à custa da proliferação do tecido conjuntivo fibroso, em que o tecido preexistente fica substituído por cicatriz fibrosa.

A cicatrização resta ao corpo apenas a marca no tecido machucado, de maneira que o corte é aliviado. Se o corte for pequeno a cicatriz dura poucos dias; se grande, pode durar uma vida inteira.

Outro fator importante para uma cicatrização segura é a alimentação e a prática de esportes. Segundo os especialistas há uma aceleração no fechamento do corte quando o ferido tem uma dieta equilibrada e não é sedentário.

Tomando essas poucas informações é possível transpor a comparação para a história de cada um. Quantos cortes foram feitos na sua caminhada? Você é mais cicatriz ou pele “original”?

Sinceramente, cá entre eu e você, caro leitor que dedica tempo a este espaço, eu desconfio de pessoas super saradas. Desconheço alguém que nunca sofreu uma queda, foi acidentado, cirurgiado, cortou-se ao partir uma laranja ou algo do tipo.

De igual forma duvido de homens e mulheres que esbanjam irretocável saúde moral, de sentimentos ou frustrações. Em regra estas pessoas banharam-se em maquiagem pesada de medo, hipocrisia e falso equilíbrio. Basta um olhar mais cuidadoso e demorado para perceber que as cicatrizes estão lá estampadas, vívidas e algumas nem mesmo completamente fechadas.

Quando alguém me olha de forma mais atenciosa sempre me perguntam a história de um corte que tenho do lado esquerdo do nariz. E sempre repito a mesma história para esclarecer os fatos.

Portanto, é possível tirar de antemão duas conclusões. A primeira no sentido de que só se percebe os detalhes do outro quando se dedica tempo e observação para com o próximo. E nós estamos tão ocupados com nossos planos que deixamos isso a um segundo plano, verdade?

O olhar frenético, inquieto, descomprometido e indiferente não nos permite perceber que uma pessoa bem do nosso lado possui uma marca, talvez semelhante a nossa, e com aspectos tão peculiares que podem fazer você entender o porquê dela ser daquele jeito.

Uma segunda dedução diz respeito ao significado das marcas. Quem é cicatrizado tem histórias para contar, seja de amor, tristeza, alegria, temor, trauma, diversão, perdas ou desilusão. Um sujeito todo perfeitinho teve no mínimo uma vida sem graça, monótona e demasiadamente programada.

Isto não implica dizer que se deve sair se mutilando por aí, com experiências desnecessárias, até porque penso eu que ninguém cai voluntariamente ou passa a faca no dedo só por prazer. Quer-se afirmar pela circunstancial e modeladora trajetória pertinente aos humanos.

Há feridas que duram poucos dias e logo somem. É o seu amigo que aprontou uma contigo ou uma tristeza por uma reprovação num concurso público. Outras insistem em ostentar uma deformação na vitrine da sua alma, tal qual a traição, o amor não correspondido, o filho ou pai que disse algo insuperável para você até os dias atuais. Estas duram uma vida toda e a cicatrização depende muito mais do tipo de atitude que se tem em relação a sua existência do que outra coisa qualquer.

Movimentar-se é necessário. Saber que o tempo não para, a vida prossegue e o sangue borbulhante do seu machucado não deve ser uma hemorragia eterna e sim episódica. É desagradável ver uma ferida exposta, não é? Fede, não é uma das melhores imagens do mundo, sangra e está sujeita às infecções das mais variadas espécies.

Alimente-se de boas companhias, da sua família, das Palavra de Abba, pratique esportes, corte o cabelo, mude os móveis de lugar, viaje, vá ao cinema, matricule-se num curso de culinária, vá à Igreja, estude baleês, pinte sua casa de verde limão, se necessário. Parece pouco, mas nós somos seres também movidos por atalhos. 

Poupe-se deste suplício. Aliás, poupe seus filhos, amigos, colegas de trabalho, namorado e esposa de conviver com essa pessoa purulenta e amarga. Permita-se ser curado. Deixe que suas feridas transformem-se em cicatrizes e, num futuro breve, espera o que vos escreve, em histórias, boas ou más. O importante é que são histórias e você poderá contá-las um dia e mostrar que você não apenas (sobre)viveu, mas seu passado foi real.

Lucena Filho


4 comentários:

Fernanda Colares disse...

Há tempos não leio blogs. Na verdade, há tempos não leio muito. A velha desculpa da "falta de tempo" rondando...mas exatamente em um dia, digamos, "favorável" (kkk!), eu leio isto aqui, e percebo que vale a pena sair um pouco desse universo restrito que é o labutar diário.
Em relação ao que fala o texto...o melhor é perceber que realmente todos temos cicatrizes. Cada cicatriz nos lê. Mas com o passar dos anos, sabemos conviver com elas...e elas realmente não doem mais...são apenas cicatrizes marcando cada estória.

Suzana Priscila S. Bulhões disse...

Veja como são as coisas da vida... não sabia da existência do blog, muito menos do dono do blog... descobri pelo simples fato de uma visita em meu orkut! Tive curiosidade de acessar o blog e logo de cara me deparo com esse texto incrível onde me identifiquei demais!!! Com toda certeza me serviu bastante!!! Tava precisando de um: acorda Priscila, vc precisa da um jeito de cicatrizar essas feridas, angtes que elas infeccionem...
Parabéns pelo blog, de hoje em diante visitarei todos os dias!!

Lucena Filho disse...

Fernanda, meu bem. Sempre bem-vinda és tu. Suzana, prazer e fico grato pelos elogios. Tem muita coisa pra ler aqui (boa ou não..rs)
bjs

Marcela Moreno disse...

Vim ler de novo! Tão biitinha sua foto novinho! Não tem nenhuma relação de proximidade que não leve às tais cicatrizes ! Impressionante é quando apesar dela decidimos tentar superar pra caminhar junto ! Nos dias de hoje as pessoas sempre querem algo em troca umas das outras, o lance é que em amizade não se recebe muita coisa em troca não kkkk. Isso que eu queria dizer : sua amizade pra mim, tirando aquelas partes básicas de gostar de fazer parte e das suas gentilezas que eu mega valorizo , é pura, simples, calcada no gostar dos gostares mais sem retorno! Te adoro ! Beijos e queijos