domingo, 29 de agosto de 2010

Sweet jardim

E são nesses momentos de convicção quanto à minha frágil existência que eu preciso dela para me sentir mais vivo: a música!

Com vocês, Tiê:



Abraço

Lucena Filho

4 comentários:

Cah Luna disse...

A minha relação com Música é a mesma..
Música me faz sentir mais viva!
Amo-te,

Carla.

Anônimo disse...

"Em síntese, a angústia é desespero. E o homem só sai do desespero quando se orientado para si próprio, querendo ser ele próprio, o eu mergulha, através se sua própria transparência, até o poder que o criou Deus não pode numa realidade transcendente, mas em mim. Somos mais íntimos de Deus do que de nós mesmos.



“Esse sentimento – observe-se bem, porque nisso reside todo o seu caráter trágico e o sentimento trágico da vida – é um sentimento de fome de Deus, de carência de Deus. Crer em Deus é, em primeira instância, querer que haja Deus, não poder viver sem Ele. Enquanto peregrinei pelos campos da razão em busca de Deus, não O pude encontrar, porque a idéia de Deus não me enganava, nem pude tomar por Deus uma idéia. [...] Mas ao ir afundando no ceticismo racional, de um lado, e no desespero sentimental, de outro, abrasou-me a fome de Deus e a sufocação do espírito me fez sentir, com sua falta, sua realidade. Quis que houvesse Deus, que existisse Deus. E Deus não existe, mas antes sobre-existe, e está sustentando nossa existência existindo-nos”.

LUCENA FILHO disse...

Citar a fonte e se identificar não faz mal a ninguém...

Anônimo disse...

musiquinha sem graça...