quarta-feira, 4 de maio de 2011

Angústia

A angústia é um desses temperos amargos da vida, mas que evitam sua morte moral. Confesso que ando por demais condimentado com tanto peso e desapontamento com o ser humano, comigo, com eles, com você.

É doloroso ver um discurso de abundância de vida e paz que excede todo entendimento pregado por usuários de remédios de tarja preta, ar de superioridade e realização pessoal exalado por gente que não tem o domínio nem mesmo sobre o próprio repouso, ofensivas de moralidade disparadas por corruptos e depravados vocacionados.

Angustio-me sim. E assim quero continuar, sob pena de ser envolvido pela normalização do mal e reificação dos sentimentos. Não quero me sentir estranho por expressar minha contrariedade àquilo que penso ser absurdo nem ser execrado por ter convicções ortodoxas.

Como diria John Piper, estamos precisando é de um chamado à angústia mesmo. Caso contrário, morreremos de olhos abertos.

Não, eu não acho tudo normal, bem como não vou me adaptar e tentarei salvar minha consciência enquanto ainda há tempo.

O sofrimento é o megafone de Deus para um mundo ensurdecido - [C.S. Lewis]

Lucena Filho

5 comentários:

Anônimo disse...

Essa angústia é sinal de sobriedade e saúde!
Encarar "tudo" com normalidade e indiferença é sinal de uma consciência profundamente enferma!
Essa angústia em relação a nós mesmos (a autocrítica e humildade é fundamental) e aos outros trará sanidade e santidade!
Forte abraço amigo,
Carlos

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

O lado saudável da angústia é pouco discutido em nosso meio. Angustiamo-nos, sim, por uma série de fatores que vão contra nossos conceitos e saberes, mas são elas mesmas que lapidam e nos encaixam na personalidade própria que nos torna singular ao mundo.
Estou na mesma luta de salvar minha consciência.
Abração. Post forte!

Celular Espião disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
eee disse...

Essa tal angustia se torna muito pior quando, além de não haver nenhum tipo de conformidade com a realidade, ainda TENTAM de toda forma nos forçar a engolir sapo dizer que tem gosto de caviar... Isso é bem pior. Deixa de ser algo abstrato e pode se tornar até uma questão pessoal na pior das hipóteses, dependendo do caso.

Angelo Gadelha disse...

A angustia tem um folego, pega essa danada e afoga.